Folha Oeste




China rouba marcha sobre o Ocidente no lançamento de vacinas para países em desenvolvimento

14/01/2021

ISTAMBUL / LONDRES (Reuters) - A China está roubando uma marcha sobre os farmacêuticos ocidentais na corrida da vacina COVID-19 nos países em desenvolvimento, com a Indonésia e a Turquia lançando enormes campanhas com uma injeção chinesa nesta semana, o Brasil em breve e até a UE membro da Hungria se inscrevendo. Cientistas em alguns países ocidentais dizem que a China tem sido lenta demais para publicar dados de testes. Relatórios públicos até agora sobre o quão bem suas vacinas funcionam têm sido inconsistentes, o que as empresas chinesas atribuem a variações na metodologia. Mesmo assim, países com centenas de milhões de pessoas desesperadas por uma vacina acham que as vacinas da China são boas o suficiente. Enquanto as farmacêuticas ocidentais lutam para atender à demanda doméstica, Pequim enviou milhões de doses de CoronaVac, fabricado pela Sinovac Biotech, para todo o mundo, e também está comercializando uma vacina separada fabricada por outra empresa, a Sinopharm. As exportações acontecem enquanto a China enfrenta seu próprio surto de infecções, que deixou mais de 28 milhões de pessoas presas. A China administrou 10 milhões de doses de vacina em casa. Embora alguns estudos sobre a vacina Sinovac tenham relatado taxas de eficácia mais baixas do que alguns produtos ocidentais, os países que os compram dizem que eles parecem eficazes na prevenção da forma mais séria e mortal de COVID-19. Talvez o mais importante, eles também são fáceis de administrar, permitindo o lançamento rápido de programas em grande escala para salvar vidas e evitar que os sistemas de saúde sejam sobrecarregados. A Turquia lançou seu programa na quinta-feira com a injeção de Sinovac e, no final da tarde, disse que já havia vacinado mais de 200.000 pessoas - mais em poucas horas do que a França conseguiu em três semanas. Os profissionais de saúde foram os primeiros. “Passamos cerca de 10 meses de macacão branco, apoiando as pessoas em sua luta pela vida. Os profissionais de saúde sabem muito bem que esta situação não pode ser tomada de ânimo leve e que a vacina é necessária ”, disse o cirurgião-geral Nurettin Yiyit. A Hungria, que se queixou da lentidão “escandalosa” no lançamento de vacinas compradas pela União Europeia em nome de seus 27 estados membros, fechou um acordo na quinta-feira para comprar a vacina Sinopharm. Se aprovado, ele se tornaria o primeiro país da UE a autorizar uma vacina chinesa. Embora todos os países provavelmente precisem de mais de um tipo de vacina para atender à demanda, a China foi rápida em enviar doses para os países que estão no final da fila de suprimentos de vacinas ocidentais. Muitos países em desenvolvimento ainda podem ter meses de espera pelas primeiras vacinas. Enquanto isso, a Turquia já tem 3 milhões de doses da vacina Sinovac em seus estoques, e o Brasil, 6 milhões de doses. O Brasil deve começar a injetá-los na próxima semana. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, foi o primeiro a tomar uma injeção da vacina Sinovac para lançar um dos maiores programas de vacinas do mundo na quarta-feira. Ele espera ter 30 milhões de doses de Sinovac até o final de março, de uma ordem de mais de 122 milhões em 2022. “A vacinação é importante para quebrar a cadeia de transmissão do COVID-19 e nos dar proteção e segurança a todos os indonésios e ajudar a acelerar a recuperação econômica”, disse o presidente. A empresa ocidental que compete mais diretamente nos países em desenvolvimento com a Sinovac até agora é a AstraZeneca, cuja vacina desenvolvida com a Universidade de Oxford também é barata e fácil de entregar. Será a base do maior programa de vacinas de todos, que a Índia deve lançar no sábado. Mais de 5 milhões de doses foram transportadas por todo o país esta semana em preparação. O governo da Índia diz que vai pagar menos de US $ 3 por dose pelos primeiros 100 milhões de injeções, produzidas sob licença pelo Instituto Indiano de Serum. A Rússia vai lançar uma nova versão ampliada de seu programa de vacinação na próxima semana, usando sua própria injeção de Sputnik V, que também é fortemente comercializada em países em desenvolvimento. Foi aprovado na Argentina, Bielo-Rússia e Sérvia, embora até agora tenha demorado a produzir doses para exportação em grande escala. Kirill Dmitriev, chefe do fundo de riqueza soberana da Rússia que apóia a vacina, disse em uma entrevista na conferência Reuters NEXT que a Rússia buscaria a aprovação da UE para a vacina no próximo mês e espera ganhar 25% do mercado global. Fonte: Reuters

Indicado de Biden para chefiar...

O candidato vinculou essa competição à necessidade da agência investir em novas tecnologias para aperfeiçoar suas t...

25/02/2021 - destaque

Presidentes de México e Argen...

Alberto Fernández encerra visita oficial em um tenso evento por ocasião dos 200 anos de um documento que levou à inde...

25/02/2021 - destaque

Coronavírus: como a vacina Sp...

Quando a Rússia anunciou em novembro passado que sua vacina contra o coronavírus, a Sputnik V, era 92% eficaz, a notí...

22/02/2021 - destaque

Irã mantém cooperação com ...

Teerã mantém o seu empenho em restringir as visitas dos inspetores, mas “entendimento técnico” dá margem de trê...

22/02/2021 - destaque

Prisão do rapper Pablo Hasél...

Manifestantes pedem liberdade do músico condenado por glorificar o terrorismo em postagens e canções. Atos reuniram m...

18/02/2021 - destaque

O que se sabe sobre a vacina S...

Os primeiros testes da Soberana 2, produzida em Cuba, são "encorajadores", dizem os cientistas. Alguns dos equipamento...

18/02/2021 - destaque

Morto aos 90 anos, ex-presiden...

O ex-presidente argentino Carlos Menem, mandatário do país por grande parte da década de 1990, morreu neste domingo (...

15/02/2021 - destaque

Absolvição em processo de im...

A absolvição de Donald Trump é sem dúvida uma vitória para o ex-presidente, mas uma vitória amarga em certa medida...

15/02/2021 - destaque

Partidos pró-independência c...

Eleição deste domingo terá consequências para a estabilidade do Governo central e para o equilíbrio de forças da d...

15/02/2021 - destaque

Senado americano considera imp...

A maioria dos senadores disse, nesta terça-feira (9), que o julgamento de impeachment do ex-presidente dos Estados Unid...

11/02/2021 - destaque

A falha em conter COVID compro...

O crescimento previsto de 4,1 por cento da região para 2021 depende de lançamentos eficazes de vacinas e da recuperaç...

11/02/2021 - destaque

Em sua primeira conversa com X...

Presidente dos Estados Unidos apresenta sua estratégia para Pequim e manifesta preocupação com as práticas comerciai...

11/02/2021 - destaque

O plano de Nicolás Maduro par...

A Venezuela dá mais um passo em direção à chamada "dolarização". Após anos de rígido controle cambial e sançõ...

08/02/2021 - destaque

Candidato de Rafael Correa vai...

Andrés Arauz sai na frente no pleito presidencial que terá seu desfecho em abril e no qual a ascensão do movimento in...

08/02/2021 - destaque

A Venezuela está preparada pa...

O país se tornou o último na América Latina a registrar o aparecimento em seu território da pandemia causada pelo SA...

04/02/2021 - destaque

Opositor russo Navalny é cond...

O ativista, detido ao voltar da Alemanha, irá para uma colônia penal. Descontado o período que ele passou em prisão ...

04/02/2021 - destaque

Golpe em Mianmar expõe relaç...

A política conhecida como ‘A Dama’, que esteve em prisão domiciliar por 15 anos, é detida outra vez pelos militar...

01/02/2021 - destaque

Equipe da OMS na China visita ...

WUHAN, China (Reuters) - Uma equipe liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que investiga a origem da pandem...

01/02/2021 - destaque

Primeira semana do presidente ...

Uma análise da incomum bateria de decretos assinados pelo democrata nos últimos sete dias para marcar distância de se...

28/01/2021 - destaque

Equipe da OMS que estuda orige...

WUHAN, China (Reuters) - Uma equipe liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que investiga a origem da pandem...

28/01/2021 - destaque

>

Av. Cesar Abraão, 157 | Osasco - 3682-5820 | jornalfolhaoeste@gmail.com