Folha Oeste
testMilhares de afegãos protestam nas ruas contra o Governo do Talibã pelo segundo dia




Milhares de afegãos protestam nas ruas contra o Governo do Talibã pelo segundo dia

19/08/2021
Compartilhar

Sequência das manifestações em diferentes cidades do Afeganistão registra várias mortes, apesar de algumas concessões feitas pelos líderes talibãs, que parecem ainda tomar o pulso das ruas. Os líderes do Talibã parecem estar tomando o pulso das ruas. Seu cabo de guerra com a população prossegue. Enquanto em Cabul permitiram nesta quinta-feira que os xiitas realizassem uma cerimônia religiosa, e até fecharam os olhos para aqueles que agitavam a bandeira nacional em alguns bairros, em outros locais atiraram contra quem se manifestava com ela. Várias pessoas foram mortas por esse motivo em Asadabad, no leste do Afeganistão. A bandeira tricolor se tornou um símbolo de resistência aos extremistas islâmicos. Sem se deixar abalar pelos mortos na quarta-feira em um protesto em Jalalabad, milhares de afegãos ousaram tremular a bandeira preta, vermelha e verde que os extremistas islâmicos substituíram pela preta e branca que os identifica. Sob o pretexto do Dia Nacional, que celebra a independência dos britânicos em 1919, as manifestações se espalharam por mais cidades, segundo se pôde ver nas redes sociais, onde muitos afegãos postaram vídeos e imagens dos protestos. “Nossa bandeira é nossa identidade”, “Longa vida ao Afeganistão”, vários grupos gritavam em diferentes lugares do país. No bairro de Wazir Akbar Khan, um dos mais ricos da capital, a multidão —na qual, além de homens e rapazes bem jovens, havia também a presença inusitada de mulheres de diferentes idades— passava por alguns talibãs que lhes lançavam impropérios e brandiam suas armas, mas, por fim, os deixaram passar sem intervir. No entanto, em Asadabad, capital da província de Kunar, milicianos talibãs abriram fogo contra os manifestantes quando eles tentaram hastear a bandeira oficial do país. Várias pessoas morreram, mas não está claro se pelos disparos ou pela debandada que os tiros desencadearam. A Rádio Azadi informou pelo Twiter que havia três mortos e dois feridos. De acordo com esta afiliada afegã do serviço público financiado pelos Estados Unidos, os talibãs disseram que as pessoas tentaram retirar sua bandeira (um pano branco com a profissão de fé do Islã sobreposta em preto) e que estavam investigando o incidente. O vice-presidente Amrullah Saleh, que se autoproclamou presidente após a fuga de Ashraf Ghani e está tentando reunir a oposição contra o Talibã, enviou uma saudação via Twitter “àqueles que carregam a bandeira nacional e, portanto, defendem a dignidade da nação”. A milícia, que melhorou muito suas relações públicas desde que os Estados Unidos a destituíram do poder em 2001, em retaliação aos ataques de 11 de setembro, respondeu com sua própria celebração do Dia da Independência em Qalat, capital de Zabul. Seus propagandistas espalham imagens de milicianos em treinamento e centenas de simpatizantes agitando a bandeira do Emirado Islâmico, como chamam seu regime. Os protestos antiTalibã, muito desiguais em tamanho, não são generalizados. No entanto, dada a incerteza sobre as intenções dos talibãs e o precedente de sua ditadura brutal, é preciso muita coragem para sair às ruas, que os jornalistas estrangeiros presentes descrevem como “cheias de patrulhas talibãs”. Além disso, no momento em que o grupo tenta projetar uma imagem mais moderada para obter reconhecimento internacional (e financiamento), eles enviam uma mensagem de rejeição ampliada pelos milhares de afegãos que hoje tentam fugir de seu país. As cenas que acontecem no aeroporto de Cabul desde a última segunda-feira falam por si. Milhares de afegãos, a maioria homens jovens, mas também muitas famílias com crianças pequenas, tentam chegar a um dos voos de evacuação organizados pelos Estados Unidos e outros países para seus cidadãos e colaboradores locais. Pelo menos 12 pessoas foram mortas no esforço até agora nesta semana, de acordo com a OTAN e um oficial do Talibã citado pela Reuters. Não está claro se eles foram baleados ou pisoteados. Também nesta quinta-feira, foram ouvidos tiros em vários dos acessos ao campo de aviação, segundo a mesma agência de notícias, que não conseguiu determinar se os disparadores eram do Talibã ou do pessoal de segurança que ajuda as forças norte-americanas no interior. Os militares norte-americanos assumiram o controle do aeroporto e estão organizando o embarque e a decolagem de aeronaves. Mas o exterior do perímetro está nas mãos do Talibã. Embora tenham jurado facilitar a passagem segura de estrangeiros, eles não parecem tão contentes em deixar os afegãos partirem. Muitos reclamam que são impedidos de cruzar os postos de controle mesmo quando seus papéis estão em ordem. Aqueles que nas últimas duas décadas trabalharam com exércitos, embaixadas ou outras organizações ocidentais, bem como aqueles que se destacaram na defesa dos direitos humanos e das liberdades civis, procuram uma saída do país. Eles suspeitam da anistia anunciada pelos novos governantes e das promessas de que não buscarão vingança. Suas palavras se chocam com as histórias que vêm à tona todos os dias. Um relatório confidencial da ONU garante que os talibãs buscam desafetos casa por casa, o que a ativista Humira Sadiq já denunciou neste jornal. O canal britânico BBC recolheu o testemunho de um intérprete afegão que chegou à Escócia com a sua família e que temia ser decapitado. “Muitos tradutores foram torturados”, diz. Fonte: El País

Determinada a manter Taiwan is...

Aprovação de resolução em 1971 ajudou a moldar ascensão de Pequim como potência mundial e a concedeu-lhe amplo pod...

25/10/2021 - destaque

Esquerda latino-americana se r...

Ex-presidente boliviano Evo Morales inaugura um seminário do Partido do Trabalho, dois anos depois de ser derrubado: ...

25/10/2021 - destaque

Líder de gangue do Haiti amea...

As autoridades disseram que a quadrilha de 400 Mawozo está exigindo US $ 1 milhão por refém em resgate para libertar ...

21/10/2021 - destaque

A estratégica rede de portos ...

O porto de Pireus, na Grécia, considerado a grande porta de entrada dos produtos asiáticos na Europa, é um dos exempl...

21/10/2021 - destaque

China nega teste com arma nucl...

A China negou nesta segunda-feira (18/10) relatos de que tenha testado um míssil hipersônico com capacidade nuclear no...

18/10/2021 - destaque

Alex Saab, suposto testa de fe...

O empresário colombiano, apontado como operador financeiro do Governo da Venezuela, partiu neste sábado num avião nor...

18/10/2021 - destaque

Cinco pessoas são executadas ...

Cinco pessoas foram executadas na fronteira do Paraguai com o Brasil entre sexta-feira (8) e sábado (9), incluindo um v...

14/10/2021 - destaque

Ao menos seis mortos e dezenas...

A passeata, convocada pelo partido xiita Hezbollah, cobrava a destituição do juiz encarregado de investigar a explosã...

14/10/2021 - destaque

Muqtada al-Sadr deve ganhar a ...

Os resultados iniciais mostram que o partido de Muqtada al-Sadr aumentou o número de assentos que detém no parlamento,...

11/10/2021 - destaque

EUA e Talibã se reúnem em Do...

Novos líderes afegãos querem que Washington desbloqueie as reservas do Banco Central. Uma delegação dos Estados Uni...

11/10/2021 - destaque

Por que esperada entrada do Br...

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, e o secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, discutiram processo d...

07/10/2021 - destaque

Pedro Castillo demite primeiro...

Presidente do Peru rompe com o dirigente Vladimir Cerrón e muda seis ministros, incorporando mais mulheres ao Gabinete....

07/10/2021 - destaque

Paraísos fiscais, riquezas oc...

Os ‘Pandora Papers’ revelam o funcionamento interno de uma economia subterrânea que beneficia os ricos e as elites ...

04/10/2021 - destaque

Disputa entre facções deixa ...

Um confronto entre facções rivais em uma prisão na cidade de Guayaquil, no Equador, deixou pelo menos 116 mortos e 80...

30/09/2021 - destaque

Biden se aproxima do abismo co...

Divisão nas fileiras democratas e rejeição republicana complicam uma votação decisiva para elevar o teto da dívida...

30/09/2021 - destaque

Afeganistão: família explica...

O interior da casa, construída com tijolos de barro, era frio, limpo e tranquilo. Um homem chamado Shamsullah, com um f...

27/09/2021 - destaque

Social-democratas saem na fren...

Projeções indicam que a União Democrática Cristã (CDU), de Angela Merkel, terá o pior resultado de sua história, ...

27/09/2021 - destaque

Entenda o que é a COP26, conf...

Negociações climáticas internacionais na Escócia, em novembro, acontecerão em momento crucial para garantir comprom...

23/09/2021 - destaque

Na ONU, Maduro exige a suspens...

Presidente participa da Assembleia Geral da ONU com um vídeo pré-gravado, para evitar ser detido caso entrasse nos EUA...

23/09/2021 - destaque

Acordo de submarino nuclear di...

Medida enfureceu França, pois o país perdeu um acordo de longa data para fornecer submarinos movidos a diesel para a A...

20/09/2021 - destaque

>

Av. Cesar Abraão, 157 | Osasco - 3682-5820 | jornalfolhaoeste@gmail.com