Folha Oeste
testCrise Rússia-Ucrânia: por que Bruxelas teme que a Europa esteja "mais perto da guerra" em década




Crise Rússia-Ucrânia: por que Bruxelas teme que a Europa esteja "mais perto da guerra" em década

17/01/2022
Compartilhar

"A Europa está agora mais perto da guerra do que esteve desde o desmembramento da ex-Iugoslávia." Palavras duras de advertência do diplomata sênior da UE com quem acabei de falar off the record sobre as atuais tensões com Moscou, sobre seu enorme acúmulo militar na fronteira com a Ucrânia. O clima em Bruxelas é agitado. Há um medo real de que a Europa possa estar em espiral para sua pior crise de segurança em décadas. Mas a angústia não está totalmente focada na perspectiva de uma longa e prolongada guerra terrestre com a Rússia pela Ucrânia. Poucos aqui acreditam que Moscou tem o poder militar, não importa o dinheiro, ou o apoio popular em casa para isso. Verdade: a UE adverte o Kremlin sobre "consequências extremas" caso ele tome uma ação militar na vizinha Ucrânia. A nova ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, estava em Kiev e Moscou dizendo exatamente isso na segunda-feira. A Suécia deslocou centenas de tropas no fim de semana para sua estrategicamente importante ilha de Gotland - que fica no Mar Báltico. E a Dinamarca reforçou sua presença na região alguns dias antes. As crescentes tensões também reacenderam o debate na Finlândia e na Suécia sobre se eles deveriam agora aderir à Otan. Mas a maior preocupação no Ocidente - Washington, OTAN, Reino Unido e UE - é menos a possibilidade de uma guerra convencional sobre a Ucrânia, e muito mais, que Moscou está tentando dividir e desestabilizar a Europa - abalando o equilíbrio do poder continental em favor do Kremlin. Outros países da UE diriam que agora acordaram e estão cheirando a café muito forte. Mas, como costuma acontecer quando se trata de política externa, os líderes da UE estão longe de estar unidos sobre qual curso de ação preciso tomar. Moscou nega - apesar do aumento maciço de tropas na fronteira com a Ucrânia - que esteja planejando uma invasão militar. Mas emitiu à Otan uma lista de exigências de segurança. Culpando ruidosamente a aliança por "minar a segurança regional", Vladimir Putin insiste, entre outras coisas, que a Otan proíbe a Ucrânia e outros ex-estados soviéticos de se tornarem membros da organização. A Otan recusou categoricamente e as três cúpulas realizadas na última semana, entre a Rússia e os aliados ocidentais, não conseguiram encontrar muitos pontos em comum. O que Vladimir Putin planeja fazer a seguir não está claro. Mas o Ocidente acredita que o Kremlin investiu demais em suas manobras públicas sobre a Ucrânia para recuar agora, sem nada para mostrar. O governo Biden aguarda impacientemente por uma posição contundente da UE sobre possíveis sanções, dependendo do curso de ação de Moscou: uma incursão militar na Ucrânia, ataques cibernéticos, campanhas de desinformação ou - como é considerado mais provável - uma mistura de ataques híbridos . Os otimistas da UE preveem que o bloco concordará com uma série de possíveis sanções até 24 de janeiro, na próxima reunião de chanceleres. Mas isso está longe de ser garantido. Vários países da UE estão comentando sobre o custo de eventuais sanções para suas próprias economias. Bruxelas normalmente discute a partilha de encargos, mas o resultado dessas negociações pode não agradar a todos. Também há uma preocupação generalizada nos países da UE sobre o fornecimento de gás da Rússia. Especialmente com os preços já tão altos para as famílias europeias neste inverno. Washington diz que está procurando maneiras de amenizar o impacto sobre o fornecimento de energia. Quer apressar a UE a concordar com uma posição firme sobre sanções - sabendo muito bem que, em política externa, a aprovação precisa ser unânime entre os estados membros. Se as relações pós-Brexit fossem mais fáceis entre o Reino Unido e a UE, você esperaria muito mais diplomacia agora entre Londres, Berlim e Paris para comparar e discutir ideias, talvez concordando com um curso de ação comum. Diplomatas de Bruxelas descrevem levemente o governo do Reino Unido como "provavelmente envolvido demais em escândalos políticos domésticos para ter a geopolítica no topo de sua bandeja agora", mas admitem abertamente que o Reino Unido está totalmente engajado na questão Rússia-Ucrânia dentro da Otan. Na segunda-feira, o secretário de Defesa britânico, Ben Wallace, anunciou que a Grã-Bretanha está fornecendo à Ucrânia mísseis antitanque de curto alcance para autodefesa . Ele disse que uma pequena equipe de tropas britânicas também forneceria treinamento. Wallace já havia alertado Moscou de que haveria "consequências" para qualquer agressão russa à Ucrânia. A Grã-Bretanha "enfrentaria os valentões", disse ele, não importa a distância do conflito. Washington insiste que não há tempo a perder. Ele diz que o Kremlin está considerando uma operação de "bandeira falsa" "estabelecendo as bases para ter a opção de fabricar um pretexto para a invasão" - ou seja, culpar a Ucrânia por um ataque que agentes russos realizariam. Fonte: BBC

Coreia do Norte relata primeir...

Pelo menos uma pessoa confirmada com COVID-19 morreu na Coreia do Norte e centenas de milhares apresentaram sintomas de...

12/05/2022 - destaque

A OTAN promete à Finlândia u...

O secretário-geral da Aliança Atlântica mostra seu entusiasmo pelo iminente pedido de adesão do país nórdico. A N...

12/05/2022 - destaque

Saratoga Hotel de Cuba: Bombei...

Os bombeiros estão vasculhando os escombros do Saratoga Hotel, na capital cubana, Havana, depois que uma enorme explos...

09/05/2022 - destaque

Macron propõe uma confederaç...

A nova Comunidade Política Europeia articularia a cooperação em segurança e energia. Chanceler Scholz chama a ideia ...

09/05/2022 - destaque

Ministro do Petróleo iraniano...

Líder venezuelano diz que conversas visam aprofundar "laços de fraternidade e cooperação em questões energéticas"...

05/05/2022 - destaque

Rússia intensifica ataques à...

Kiev denuncia que Moscou tenta eliminar os soldados "com o apoio de aviões" e violou um cessar-fogo para a evacuação ...

05/05/2022 - destaque

Rússia ataca siderúrgica de ...

Os ataques foram retomados nas siderúrgicas de Mariupol, apesar de centenas de civis permanecerem presos no interior, d...

02/05/2022 - destaque

Raúl Castro reaparece em um e...

A última aparição pública do ex-presidente de Cuba foi após os protestos de 11 de julho, em um "ato de reafirmaçã...

02/05/2022 - destaque

Secretário-geral da ONU está...

António Guterres deve ter reuniões com presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Volodymyr Zelensky. O secretá...

25/04/2022 - destaque

Os Estados Unidos recuperam su...

Secretários de Estado e Defesa dos EUA encontram Zelensky em uma viagem rápida a Kiev. Washington garante que "apoiar...

25/04/2022 - destaque

Análise: Castillo do Peru end...

O presidente esquerdista do Peru, Pedro Castillo, sinalizou uma postura mais dura nos protestos contra as mineradoras qu...

21/04/2022 - destaque

Rússia proíbe entrada de vic...

Medida se estende para outros norte-americanos, como o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, a vice-secretária de Defe...

21/04/2022 - destaque

Kremlin: adesão de Finlândia...

"Aliança continua sendo uma ferramenta voltada para o confronto e sua expansão não trará estabilidade ao continente ...

18/04/2022 - destaque

Os truques de Kiev e Moscou pa...

Dois vídeos mostram detidos de ambos os lados pedindo aos governos que concordem com uma troca. Nas mãos de um lado da...

18/04/2022 - destaque

Rússia expulsa 45 diplomatas ...

Polônia expulsou diplomatas russos no mês passado; funcionários devem deixar o território russo até a próxima quar...

14/04/2022 - destaque

EUA miram sete aviões porta-a...

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos confirmou nesta quinta-feira que identificou sete aviões Boeing (BA.N) 7...

14/04/2022 - destaque

Premiê indiano diz a Biden qu...

Líder da Índia também falou sobre o assassinato de civis na cidade ucraniana de Bucha, descrevendo o incidente como "...

11/04/2022 - destaque

A primeira crise do governo Sc...

Anne Spiegel, do The Greens, deixa o cargo depois de admitir que no verão passado saiu de férias apenas uma semana ap...

11/04/2022 - destaque

Morte e desafio em um bairro d...

Situado em um bairro tranquilo e arborizado da cidade ucraniana de Bucha, um complexo de apartamentos na rua Vodoprovidn...

07/04/2022 - destaque

Rússia acusa Kiev de boicotar...

O chanceler russo garante que o governo Zelensky mudou o que foi acordado na reunião de Istambul e prevê novas demanda...

07/04/2022 - destaque

>

Av. Cesar Abraão, 157 | Osasco - 3682-5820 | jornalfolhaoeste@gmail.com